Bem vindos a bordo

As expectativas de vida, de carreira e de blog de um comissário de voo desempregado

decolagem cnf g3
(foto: Lucas Conrado)

Alguém já destruiu um sonho seu, mesmo que sem querer? Chegou pra você e disse “você sabe que não pode fazer o que sempre quis, né?”. Pois é, fizeram isso comigo. No ensino médio, uma professora me disse que, por causa de uma cirurgia que eu fiz, eu não poderia ser piloto. Cheguei em casa preocupado, procurei meu pai (que trabalhou na Varig durante muitos anos) e perguntei se aquilo era verdade. Ele, desanimado, me disse que era.

Evoco James Taylor, na música Fire and Rain:

Sweet dreams and flying machines in pieces on the ground

(Sonhos doces e máquinas voadoras despedaçadas no chão)

Convencido de que eu não poderia voar, fui prestar vestibular. Por gostar de escrever, fotografar, filmar e editar, acabei indo pro jornalismo. Foram uns sete anos entre faculdade e trabalho, tendo a sensação de que não era aquilo o que eu queria. Os três anos que passei no trabalho foram divididos entre o tempo que sonhei com viagens interestaduais e que realizei esse sonho, me oferecendo para toda cobertura de evento em São Paulo.

Eram trabalhos pesados, que exigiam muito do nosso físico. Acordar cedo, dormir tarde, passar o dia inteiro correndo atrás de entrevistados e carregando equipamento pesado. Mas eu ia felizão sempre, por causa dos voos. E ali no avião, vendo as nuvens lá fora, o trabalho dos comissários, eventualmente entrando na cabine de comando, eu me sentia tão feliz e realizado… e aquela chama apagada dentro de mim voltou a se reacender. E inspirado num livro protagonizado por um comissário de bordo chamado Lucas (que era ex-jornalista), falei “quer saber? vou ser comissário de bordo!”

O resto é história. Pedi demissão do emprego como jornalista. Na semana seguinte, me matriculei num curso de comissário de bordo. Estudei pra caramba. Fiz uma cacetada de simulados. Passei um fim de semana no mato. Me formei e passei na Anac.

Nesse período, me apaixonei pela função. Me apaixonei não só pela possibilidade de conhecer o Brasil a trabalho, mas pela possibilidade de conhecer pessoas. Ajudar pessoas. Reconfortar passageiros assustados e explicar aos curiosos o que estava acontecendo ali. Mas assim, desde que me formei, não consegui emprego. E estou aqui sonhando com o dia que irei ao aeroporto uniformizado, embarcarei num avião e irei trabalhar onde sempre quis.

É claro que não fantasio demais também. O pessoal pensa que o comissário de bordo tem um trabalho simples e glamuroso. Que a gente (passei na ANAC, posso dizer que sou comissário de bordo) viaja por aí, passando fim de semana em Paris, tirando uma tarde numa praia de Maceió ou passeando em Foz do Iguaçu.

Amigos, não. Não mesmo. Comissário não é turista profissional. Não é garçom dos ares. É o responsável pela segurança e bem estar de centenas de passageiros. Passageiros esses com as mais diversas origens, personalidades, humores. Isso sem contar com fins de semana trabalhando, dias longe de casa, Natais e Reveillons nas mais diversas cidades.

Sei que a vida de comissário não será das mais fáceis. Mas tampouco das piores. Sei lá, só a possibilidade de estar naquele ambiente de aeroporto, de aviões, voando por aí deve ser sensacional…  a expectativa que tenho pra profissão de comissário de bordo? Um negócio que vai me desgastar pra caramba, mas que vai me realizar de uma forma que nunca imaginei que seria possível.

E que vai me possibilitar um dia tirar meu brevê de piloto privado. Quem sabe, de piloto comercial ou de linha aérea?

E qual é minha expectativa para esse blog?

Quero despertar em vocês o amor que sinto pela aviação. Quero contar os detalhes, os segredos, as curiosidades dessa atividade que é vista por muita gente como uma coisa mágica ou quase extraterrestre. Quero mostrar pra vocês que voar é seguro e que, mesmo quando algo de errado acontece no voo, estamos preparados para ajudá-los da melhor forma possível.

Quero ajudar quem quer entrar na aviação, mostrando como são os cursos, as profissões envolvidas na atividade. Quero compartilhar com vocês filmes, livros, séries, games e músicas que falem sobre a aviação. Quero que vocês embarquem comigo nessa e que exploremos os segredos dos aviões, aeroportos e das pessoas que dedicam suas vidas a voar.

Então apertem os cintos, pois estamos decolando!

Anúncios

2 comentários sobre “Bem vindos a bordo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s